Mostrar mensagens com a etiqueta Trabalhadores. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Trabalhadores. Mostrar todas as mensagens

Há bestas que defendem o regresso ao séc. XIX

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017


Corte na TSU (dos patrões): borlo eu ou borlas tu?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

No horizonte de 2017 só a luta

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Fim de ano e aparecem os costumeiros balanços nos quais aparece alguém nas televisões e jornais a decidir por nós o que foi "bom" e o que foi "mau" nestes 366 dias. À excepção das tragédias e mortes, que por norma reúnem unanimidade, sempre aparecem os “mais” e os “menos” do ano, os “factos assinaláveis” e as “figuras marcantes”, exercícios subjectivos mas sempre orientados no sentido de transmitir determinada mensagem, de valorizar esta ou aquela ideia, esta ou aquela personalidade. É o produto desse “balanço”, tal como o que entra em todas as casas durante todo o ano, que conta e que marca. Chegará o dia de uma maior equidade e de uma maior justiça. Chegarão tempos de maior liberdade de consciência individual e colectiva. Chegarão tempos de menor formatação e maior dialética. Contudo, é praticamente certo que esses tempos não serão os de 2017.