Mostrar mensagens com a etiqueta NED. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta NED. Mostrar todas as mensagens

No primeiro de Abril, a verdade e a mentira.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Democratas ucranianos após a vitória no golpe
O PCP trai os seus princípios de sempre e quebra uma das suas mais importantes e conhecidas qualidades: a coerência. Ao contrário do que fez com outros movimentos e países, nomeadamente no que toca a manifestações espontâneas que surgem como "apartidárias" e promovidas por "jovens" sem intenções políticas além das de lutar pela democratização de regimes autoritários, o PC alinhou desta vez com a postura, a que até aqui vem qualificando como oportunista, típica do Bloco de Esquerda em Portugal.

Se, nos casos da Líbia e da Ucrânia, o PCP tinha tido uma posição que avaliava a situação concreta de cada um dos países e os interesses por detrás de cada um dos movimentos em causa, ao contrário do BE, que já então, segundo o PCP, alinhava com os "interesses do imperialismo norte-americano", certamente por cedência "às pressões da comunicação social dominante", no caso de Angola e dos jovens activistas, de que se destaca o herói e mártir Luaty, o PC não se importou de alinhar lado-a-lado com aquilo a que noutros casos chamaria de "pressões externas" e "ingerências na soberania".