Mostrar mensagens com a etiqueta Hugo Soares. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Hugo Soares. Mostrar todas as mensagens

Pedro vs Hugo

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Hugo Soares, presidente da JSD e deputado à Assembleia da República pelo PSD, declarou, há cerca de uma semana, num debate televisivo, que “todos os direitos das pessoas podem ser referendados”. Foram palavras que originaram, por todo o lado, muitas conversas, discussões e comentários. Já foi há uma semana, bem sei. Nos tempos do “mastiga e deita fora” há prazos de validade para todos os acontecimentos. Mas eu retive o que foi dito por Hugo Soares naquela noite. E retive, não pela declaração que acima transcrevi mas por uma outra: “os portugueses têm maturidade democrática para, se forem esclarecidos sobre esta matéria, votarem em consciência. Sabe porquê? Porque eu não passo atestados de menoridade, nem de inferioridade, a nenhum dos meus eleitores nem a nenhum dos portugueses que estão lá fora”.

Porque rir é o único remédio...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

E pronto, hoje o dia foi especial. Segue-se uma lista de uns quantos momentos "HAHAHAHAHA". São aqueles momentos em que alguém decide argumentar, agir, legislar, enganar, roubar, etc e tal, de forma tão absurda que só nos resta rir. Depois é respirar fundo, e combatê-los. Enfim, sem mais delongas e sem comentários...divirtam-se!

Roubado do Facebook do Miguel Tiago: "Deputado do PSD acaba de dizer que a diminuição da natalidade se deve, em parte, à emancipação da mulher. É preciso dizer mais alguma coisa?"

Crónica de uma pergunta anunciada

Há coisas inevitáveis. Perguntas, sempre as mesmas perguntas, não o são. E não há uma greve em que nos media não saia a questão, sob diversas formas, como se fosse a fundamental: "Em que medida é que esta greve o prejudica?".

A outra questão crónica é perguntar se "concorda com os motivos da greve", em lugar de procurar saber, primeiro, se sabe quais os motivos da greve, mesmo antes de concordar ou discordar com ela.

Na TSF, hoje, ouvi a melhor resposta à pergunta da praxe - desculpem não falar sobre o não-assunto do momento. "A greve não me causa transtorno, causa-me transtorno ter de emigrar", respondeu uma jovem. "Vou aproveitar as duas horas de atraso para estar com a família".