O choque da pobreza cubana

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

A morte de Fidel foi mais um pretexto para a o avanço da ideologia dominante na propagação da ideia de que ou há este caminho ou não há caminho nenhum. Da social-democracia mais à esquerda ou mais à direita, poucos são os que têm coragem de assumir que as conquistas cubanas são tão profundas e importantes que não podemos compará-las com as democracias haitianas, porto-riquenhas ou dominicanas. É que, por incrível que possa parecer, é com esses países que Cuba deveria ser comparada. Porque foram países brutalmente colonizados, explorados nos seus recursos e nos seus povos. Porque era lá que os homens de família que deslocavam em negócios de saias, enquanto enchiam a boca com o moralismo e a santa madre igreja. No entanto, o progresso cubano foi tão expressivo que o comparamos com os países desenvolvidos, ou exploradores, como preferirem. E, por incrível que possa parecer, Cuba supera esses países em categorias tão importantes como a saúde infantil, materna, educação, tratamento do HIV, acesso à habitação. Mas o que importa isso?

Como é que é possível um país não ser aberto só porque o seu líder sofreu 638 tentativas de assassinato por parte da maior potência mundial, fora as tentativas de golpe de Estado?

Claro que o embargo não explica tudo. Afinal, o que pode explicar um país não poder efectuar trocas comerciais com outros? Olhemos para nós, que não nos importamos nada, nem há manchetes e campainhas e alarmes de cada vez que a nossa balança comercial se inclina para um lado ou para o outro? Um embargo não explica tudo.

Um embargo não explica tudo. Os cubanos pedem sabonetes e champôs aos turistas, onde já se viu. E o embargo não tem nada a ver com isto. Ainda se fossem sem-abrigo e pedissem pão, isso sim, era liberdade, democracia e desenvolvimento.

Então e tu? Já visitaste Cuba? Ou reges-te pela imprensa, que lhe é tão favorável. Claro que sim. A imprensa, ao serviço da classe dominante que abomina e silencia tudo o que foi alcançado com a revolução cubana. A mesma imprensa que, no entanto, é obrigada a noticiar que é em Cuba que são operados doentes portugueses com cataratas. Fora isso, Cuba é um pesadelo. Nunca lá foste, pois não? Então não sabes nada.

O embargo não explica que o sistema eleitoral cubano não seja democrático porque não está de acordo com as nossas democracias amadurecidas, como a dos EUA, em que é possível, numa eleição uninominal, ser eleito alguém com menos votos. Mas pelo menos há eleições. Em Cuba também, mas não importa. As de Cuba são más porque são em Cuba.

E a pobreza em Cuba? Que é muito mais pobreza do que em qualquer cidade sul-americana? Os pobres em Cuba deviam ser pobres como os do Haiti, não é como os cubanos. Onde já se viu, andarem a pedir sabonetes. Já disse que deviam pedir comida e um abrigo, sei lá, não disse? Isso sim, é pobreza menos má, porque é nossa, e olhamos e atravessamos a rua e está resolvido. Agora pobreza quando vamos de férias? Onde já se viu? Nós habituados a ir a Paris, Londres, Barcelona, Madrid, Berlim e lá não há miséria, seus burros. São carências. Claro que não tem a ver com a expulsão dos habitantes locais das grandes cidades para os arredores, transformando-as em enormes centros turísticos, sem a pobreza, que incomoda tanto.

Sim, os putos sabem ler e escrever em Cuba, ao contrário de 200 milhões de crianças por todo o Mundo. Têm aulas de música, desporto e artes que aqui só temos se pagarmos. Muito. Mesmo muito. Pá, mas aquilo não é uma democracia porque não pensam como nós.

Sim, a saúde, está bem. Só porque tem um médico para cada 150 pessoas? Isso justifica alguma coisa? Até parece que, aqui, se eu precisar de um médico não posso ir ao privado. Está bem, tenho de ter um seguro de saúde e pagar por isso. Mas pronto. Posso ficar no público à espera. E se for urgente temos as urgências. Pagamos? Ok, mas ganhamos muito mais que os cubanos, até andam alguns a ver se a gente chega aos 557 euros por mês, em vez dos 600, é porque devemos estar bem. Depois, é pagar luz, água, gás, passe social, renda ou empréstimo e paga-se a consulta nas urgências com o que sobrar.

Fidel foi um criminoso porque matou pessoas durante a revolução. Que importa se o país permaneceu ameaçado, interna e externamente, pelos EUA? Onde já se viu, fazer uma revolução e assassinar pessoas? Isto não ia lá com veludo, ou com cores, ou com estações do ano, como se tem visto com tanto sucesso? Era preciso uma revolução tão revolução?

Depois há os outros, que sim, Cuba tem coisas boas, como o ensino e a educação, mas. Claro que mas. Uma das principais opositoras cubanas vive na ilha, é paga por George Soros e é conhecida por ser blogger, entrando e saindo da ilha quando quer. Numa ilha sem internet, sem nada, onde se comunica por sinais de fumo. De charuto, claro. Nem liberdade, como canais de rádio e TV que emitem diariamente a partir de Miami. Para onde vão os democratas cubanos, com subsídios do governo norte-americano, desde que não cheguem de avião. Se chegarem de avião, não têm visto.

E os médicos, engenheiros, professores que passam por tantas dificuldades? E os nossos todos aqui tão bem nos callcenter e na Uber ou emigrados ou a servirem de mão-de-obra barata nos supermercados, através das empresas de trabalho temporário? Pelo menos podem sair do país. Em Cuba também, desde que não vão de avião e para os EUA.

Matou pessoas, Fidel. Foi um criminoso sem um pingo de humanidade. Democracia em Cuba, só mesmo em Guantánamo. Devia ter sido mais como nós, que somos cheios de humanidade, mas estamos no lado dos que votaram para eleger um presidente que se recusou a condenar o Apartheid. Curiosamente, Fidel foi uma das pessoas a quem Mandela agradeceu todo o apoio dado à causa dos negros sul-africanos, bem como à libertação de países daquele continente.E o Amílcar Cabral. Tudo bem, mas não era preciso matar pessoas, até parece que não se resolvia a descolonização de outra forma, com paciência e jeitinho.

A malta é de esquerda e está com a Palestina. Fidel é um criminoso admirado na Palestina pelo apoio dado àquele povo, às tantas temos aqui um problema, mas não, porque teremos sempre um mas. Matou pessoas e tudo numa revolução. Que bruto. Em vez de abrir o país à democracia de modelo burguês ocidental, como fez ao Chile de Allende. Morreu mas pelo menos morreu cheio de democracia imposta pelos nossos aliados. O Pinochet é que sabia.

A gente é de esquerda e até esteve pelo Obama. Guantánamo? Mas ele é mesmo cool. Viste-o naquele talk-show? Super engraçado.

E aquelas férias na Tailândia? Que importa o turismo sexual, os pobres lá são muito melhores. Mesmo que, à chegada, nos digam quais os locais para onde podemos ir sem correr o risco de ser assaltados. A pobreza lá é muito melhor. Não pedem champô nem sabonetes. Isto sim, são pobres à maneira. Nem falo na Índia. Lá é que a pobreza é como deve ser.

E Marrocos? É lindíssimo o Saara Ocidental. Presos saarauís? Mas os pobres lá são de categoria, tens é de entrar e fechar-te no hotel e escolher bem o percurso com os guias. Estes ao menos não te pedem champôs. Mas, se puderes deixar ficar uns dólares… Aquele deserto é lindo.

A gente quer é escrever as nossas sentenças nos nossos smartphones feitos com mão-de-obra escrava, a nossa roupa cosida por crianças e poder dar às nossas crianças os brinquedos que são feitos por crianças mais pequenas do que elas. Nenhuma delas é cubana, podem ser haitianas, salvadorenhas ou porto-riquenhas, mas aquela pobreza lá, com pessoas que pedem champôs e sabonetes, choca muito qualquer um.

Cuba não é o paraíso na terra. Mas também não é o inferno que são os seus vizinhos sul-americanos. Por muito que isso custe a quem gostava que fosse.

39 comentários:

  1. Texto magnífico e elucidativo. Só um reparo: "como fez a Argentina de Allende", será Chile e não Argentina. De qualquer forma não tira mérito nem verdade ao texto.

    ResponderEliminar
  2. Também não é ''vizinhos sul-africanos''...

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Este texto é cruel. Cruel para as pseudodemocracias ocidentais e seus defensores, cruel para quem tem que vender a diabolização do socialismo.
    Parabéns Ricardo Santos.

    ResponderEliminar
  5. Sobre a morte de Fidel e sobre os críticos, como disse e bem George Galloway (que a comunicação social britânica abomina), os cães podem dançar na campa do leão, mas serão sempre cães.
    Em Portugal, são pequenos «caniches» ou «chihuahas» sempre muito prontos a comentar tudo, copiando tudo que vem de fora.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida.Eu que o diga que tenho estado atento aos comentários nas redes sociais.As pessoas nem sequer conhecem minimamente a realidade cubana, deixando-se levar pelos "clichés" dos "media" ocidentais.

      Eliminar
  6. Em há eleições em não se vota em partidos (para quê? só há um!) mas sim em pessoas. Essa pessoas têm as mais diversas opiniões e ideais... pois aí tenho dúvidas. Nunca visitei Cuba, é verdade, mas conheço pessoas que visitaram e todas me dizem o mesmo, que existe 2 Cubas: a dos turistas e a dos cubanos. Aí está a diferença: há quem se baseie no jornal do Avante, eu baseio-me em testemunhos.
    Diz que os cubanos não podem viajar para os EUA de avião, isso agora não sei... só que vão na mesma, nem que seja a nado. Já agora, como falou no inferno que são os vizinhos sul americanos , porque não falou de um mais concreto, a boa da Venezuela? Porque não interessa.
    Para acabar, o comunismo seria algo fabuloso se os comunistas actuais não confundissem democracia com anti-ocidentalismo/anti-americanismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindo... Magnânimo... Fabuloso...
      Haverá por aí uma cópia disto a cores?

      Eliminar
    2. O AFIM não percebeu nada do que leu. Ou então, as evidências são de tal ordem que tem que tentar baralhar a compreensão do texto magnifico aqui editado. E quando tal acontece, aparece sempre aquele estilo de....Pois, tá bem, mas e isto? (Venezuela...) Explica-se. e...E aquilo? Explica-se sobre isto e aquilo, e nunca fica nada explicado porque aparece sempre mais qualquer coisa que não lhe fica bem explicado. ou não vale a pena porque nunca se quer compreender nada. Será necessário perder tempo, como o que eu estou a perder? Afim ou enfim...

      Eliminar
    3. Unknown...? Pelo que deduzo, tambem não entedeu nada do que leu. O "Pois, tá bem, mas e isto?" é o que se usa quando se fala de Cuba. Dou os meus parabéns pelo nivel de educação e saude de Cuba. A sério que dou. Tiro-lhe o chapeus. Os médicos cubanos são fantásticos. Mas uma ditadura´é uma ditadura, não há volta a dar ao texto...
      (Mas porque carga d'água estou a perder o meu tempo?)

      Eliminar
  7. Que texto completamente patético. Onde estão as fontes que justificam estas ideias? Um médico por cada 150 habitantes? Alunos a aprender Música na escola? Nos hospitais em que os portugueses são operados às cataratas, os cubano não entram!!! Há duas Cubas, as dos turistas e a dos cubanos, miserável. Alem disso, Fidel de Castro não matou só na revolução. Assassinou milhares de opositores em cinquenta anos de ditadura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cuba leads the world with the lowest patient to doctor ratio, 155:1, while the U.S. trails way behind at 396:1.[6] With a surplus of Cuban doctors, Cuba is able to help ailing nations around the world. They have medical missions in over 75 different countries lead by nearly 40,000 health http://www.socialmedicine.org/2012/07/30/about/cuba-leads-the-world-in-lowest-patient-per-doctor-ratio-how-do-they-do-it/

      Eliminar
    2. The tying of music education to Cuba’s national identity has yielded stunning results. Cuban music schools are world renowned for producing some of the world’s greatest musicians — a disproportionally high number considering the nation’s population of 11 million. Domestically, Cuba boasts tremendous job opportunities for professional musicians. For example, the country has 18 professional choirs and hundreds of community, church, and youth groups. By contrast, the United States only has one professional, full-time choir.http://www.brownpoliticalreview.org/2015/04/evaluating-music-education-in-cuba-and-the-united-states/

      Eliminar
    3. Estás cheio de sorte, porque estou com insónias. Sobre hospitais onde os cubanos não entram, deve haver uma explicação para serem o país da América com maior esperança média de vida.

      Eliminar
  8. Isso tem explicação.. É dos Monte Cristo que toda gente quer 😅😅

    ResponderEliminar
  9. Este artigo está cheio de bias e usa insulta quem tem opinião diferente, Logo perde a credibilidade.
    Infelizmente as opiniões que vemos aqui não são de Cubanos, a maioria não têm sequer acesso a internet, não é permitida em casas particulares.
    E eles não pedem só sabonetes, pelos menos a mim pediam roupa sim, além e comida e bebida, e era gente que trabalhava para o Estado.
    Portugal tem um sistema de saúde universal que é gratuita para os carenciados (assim como outros serviços públicos) a diferença é que em Cuba quase toda a população é carenciada.

    ResponderEliminar
  10. E os Cubanos não podem sair do País não, com os 20 euros que ganham nunca terão dinheiro para pagar uma passagem aérea, como um Cubano me disse: esta ilha é a maior prisão do mundo... Mas tu podes ir lá viver com os mesmos 20 euros (ou com 40 euros se tens um curso de medicina) ... Então e tu? Já visitaste Cuba? Ou reges-te pela imprensa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme contradição e equívoco do seu modo de pensar, Manuela Jorge. Saberá da cura para a cegueira? Já ouviu falar em «Milagro»? E a exportação de médicos, sem fronteiras? Mesmo com o bloqueio, os cubanos, através de Fidel, foram além do que se esperava. Já para não falar no desporto... Enfim, Manuela Jorge, os seus comentários são produto de uma ignorância concentrada apenas naquilo que lhe dão a ler e a ver.

      Eliminar
    2. São de ter estado em Cuba, e de ver e falar com os próprios Cubanose escutá-los não baseados em ideologias políticas de quem nunca lá esteve nem em insultos.

      Eliminar
    3. Será que confundiu com aqueles que moram no distrito de Cuba, em Portugal?

      Eliminar
  11. Ricardo Santos,

    Obrigada pelo artigo... É evidente que falta dizer muita coisa, que seria de nós em Portugal, se tivéssemos um embargo financeiro e comercial, um país que não estivesse no FMI, que não pudesse emitir dívida, que não pudesse obter créditos, que tivesse de pagar tudo a pronto, numa ilha que tudo o que não tem só pudesse chegar de barco ou avião, que um barco ao atracar num porto português durante 6 meses não pudesse atracar num porto dos EUA, que qualquer equipamento que fosse comprado no estrangeiro não pudesse ter qualquer componente americana, mesmo quando uma empresa fornecedora no passado se tornou posteriormente americana ou em parte americana seja nos componentes dos equipamentos ou na parte acionista...

    Cuba é um país que está como está mesmo amarrado como tem estado... Ninguém diz claro, que a economia é uma economia de guerra, com racionamento a todos os níveis da sociedade, salvo em questões essenciais como, a saúde, a educação, a cultura, o desporto... Com bloqueios, com actos terroristas, com terrorismo de estado por parte dos EUA, Cuba encontra-se em patamares que infelizmente a grande maioria dos países da américa latina não está... Do ponto de vista económico, seria interessante compararmos também, a dívida externa que Portugal tem e que Cuba não tem...

    Apesar de tudo não posso dizer que tudo foi ou é perfeito, mas finalmente o que era Cuba, o que poderia ser este país sem as AMARRAS... Este sim, é a verdadeiro medo dos EUA!

    Cordialmente.

    J. Pereira

    ResponderEliminar
  12. Para aqueles que têm dúvidas e escrevem torto sobre Fidel, perto de um milhão de pessoas já atenderam às cerimónias de Fidel, em Havana.
    A Manuela Jorge, se quiser, aproveite este momento para ir a Havana e dizer aos próprios cubanos que prestam a sua última homenagem, todos os disparates que escreveu aqui. Se conseguir essa proeza, ganhará a medalha da liberdade, atribuída por Obama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já lá fui, já tinha dito, e tu que estás a espera para ir lá e ver com os teus próprios olhos? porque ainda não foste? se eras fã do Fidel perdeste a tua grande oportunidade de o ver vivo.

      Eliminar
    2. Foi lá contrariada. E voltou para dizer mal do país. Não preciso das suas palestras anti-Fidel e anti-Cuba. Para isso, basta ler o que a nossa imprensa diz.

      Eliminar
  13. RICARDO SANTOS,

    Obrigado, por ter trazido à opinião, o grande feito levado a cabo por esse grande revolucionário cubano FIDEL CASTRO. Sabemos que não se pode agradar a todos ao mesmo tempo. Os beneficiados pelo regime dominado por Fulgêncio Batista, claro que não viram, nem podiam ver, de bom grado acabarem os benefícios de uma ilha submissa e que se prestava, ao "turismo e descanso sexual" dos milionários da grande nação. Tudo isso acabou, porque um advogado (que poderia cingir-se a um escritório e viver feliz) recusou e iniciou uma luta para libertar uma nação oprimida. Foi uma vitória de um povo, que acreditou e apoiou, sem reservas, ou outras contrapartidas, a não ser a conquista das melhores condições para a população. Estas eram as intenções da revolução, só que, os vizinhos - que se arvoram como donos do mundo, não quiseram perder aquela ilha de descanso, e como não conseguiram pelas invasões, na memória existe a "Baía dos porcos" e outros atentados, impuseram o VERGONHOSO EMBARGO. Gostava só de perguntar: -Qual o país que resistiria 56 anos a um embargo total? Será que seria ainda um país? Não, nunca visitei CUBA. As dificuldades financeiras, trabalhador por conta de outro, sem ter herdado fortuna de parentes. Ter primado por evoluir culturalmente, estou quase na recta final da vida, e não posso cumprir esse desejo de visitar CUBA, país que sempre admirei desde os meus 15 anos.
    Por tudo o que relatou, no seu texto, os meus PARABÉNS.
    FIDEL "O GRANDE COMANDANTE MORREU FISICAMENTE, MAS O SEU PROCESSO SERÁ LEMBRADO"

    ResponderEliminar
  14. Estive em Cuba e na Rep. Dominicana.
    Há pobreza nos dois lados.
    Só que em Cuba aparece como algo tão antigo, tão permanente e tão sem remédio que mete dó.
    Fanado; é o estado geral, excluídos alguns poucos dos símbolos do poder de Estado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fanado já andas tu há muito tempo, ó José ou Xoné. Que é feito do teu blog «A Chispa»? Marxista-Leninista ali, fascista aqui. Mais um caso de dupla personalidade, enfim...

      Eliminar
    2. Nunes serás tu o Cuco que infesta o LdB. Esse é que tinha a mania dessa tal de chispa!

      Eliminar
    3. Parabéns, José, pelo teu artigo em «A Chispa!»

      Aqui está ele:

      (...)

      Morreu o revolucionário Fidel Castro - Honra à sua memória!

      Fidel Castro será sempre lembrado como um líder que dedicou sua vida à revolução que transformou as estruturas económicas e sociais de Cuba, em constante luta contra a agressão do imperialismo norte americano.
      A revolução cubana que triunfou em 1959 despertou o entusiasmo dos trabalhadores e em milhões de revolucionários em todo o mundo.
      Com a queda da ditadura fascista de Fulgencio Batista, Cuba iniciou uma luta titânica pela independência nacional, soberania económica e libertação do jugo exercida sobre o país pelos Estados Unidos.
      Após a tomada do poder pelos revolucionários as primeiras medidas dirigiram-se contra a propriedade de capital norte-americano e iniciaram-se as campanhas de alfabetização, que contribuirão para o extraordinário desenvolvimento da educação e da saúde pública, que transformou a Cuba do subdesenvolvimento em um exemplo para os povos da América Latina e da maior parte dos países do resto do mundo.

      Fidel Castro será sempre lembrado como o homem, o líder e revolucionário que, com sacrifício e esforço e apoio de amplas massas populares, recuperou para o seu país a dignidade e soberania nacional.

      (...)

      Um verdadeiro caso de dupla personalidade na blogosfera.
      Em todo o caso, formidável e eficaz.

      Eliminar
  15. Estados Unidos da América exportam bombas e Cuba (de Fidel) exportou médicos e medicina.

    Vejam este video do comediante Jimmy Dore. Os bons americanos (com sentido de humor) reconhecem quem é Fidel:

    https://www.youtube.com/watch?v=kSoHml9zHrY

    ResponderEliminar
  16. Olá,
    Você é um homem de negócios ou uma mulher? Você está em algum estresse financeiro? Você precisa de empréstimo para iniciar seu próprio negócio? Você tem um rendimento baixo e tem dificuldade para obter empréstimos de bancos locais e outras instituições financeiras? A resposta está aqui na baixa taxa de 2%, nos envia por correio electrónico em paydayloancompany9@gmail.com

    ResponderEliminar
  17. Fidel Castro foi tudo e mais alguma coisa de que o possam acusar, inclusivamente de ter acabado com o bordel dos EUA, que era a ilha de Cuba, administrado por Fulgencio Batista

    ResponderEliminar
  18. Grande artigo, interessante blog, vou passar a seguir atentamente!

    ResponderEliminar