Paulo Portas deixa a liderança do CDS-PP...

terça-feira, 29 de dezembro de 2015


...para sempre?
...e funda um blogue com aspirações a jornal?
...e, de submarino, dedica-se à observação de corais e tubarões?
...e refunda a Universidade Moderna?
...e vai plantar sobreiros?
...e parte com Cavaco Silva para uma quinta isolada em Boliqueime?
...e é desta que vai voltar a detestar os políticos e o poder?
...e os documentos que não dão jeito já estão todos destruídos?
...irrevogavelmente?

O facto é que 2016 promete! Portas e Cavaco pelo ralo abaixo. No Caldas rasgam-se camisas de seda e destroem-se penteados enlacados. Em Belém esperam novo inquilino(a). Que em 2021 Paulo Portas se mantenha longe do Palácio.

1 comentário:

  1. Quanto é que o estado português gastou ao inventar uma pasta ministerial de «Vice Primeiro-Ministro», derivado ao caso «irrevogável»?
    Na verdade, gastou-se dinheiro com um espaço, onde Paulo Portas foi ministro, durante 2 anos.
    Não foram apenas os deslizes e a vida parasitária dos seus colegas do CDS-PP que ocuparam todos os cargos possíveis, enquanto aliados do PSD no governo.
    Nesta altura, em que Paulo Portas deveria estar a responder em tribunal, derivado a muitos casos obscuros, em que participou como ministro, temos uma comunicação social (o caso de Ricardo Costa do Expresso) a fazer uma autêntica vénia ou elogio (em jeito de submissão) a esta personagem medíocre da cena política portuguesa.
    Pior que Paulo Portas, só a mediocridade de Marcelo Rebelo de Sousa.

    JN

    ResponderEliminar