Isto não é um hospital, é um matadouro.

terça-feira, 14 de abril de 2015

video

Isto, é crime. Paulo Macedo é um criminoso.

2 comentários:

  1. Uma reportagem a não perder

    Este é o ministro que merece elogios e merece o apoio descarado duma parte dos media oficiais e oficiosos e que merece considerações elogiosas da parte de destacados membros do PS, como correia de campos.

    Alguns dados :

    "O número de camas de internamento diminuiu nos hospitais públicos e aumentou nos privados, entre 2002 e 2013, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados na véspera do Dia Mundial da Saúde, que se assinalou anteontem.
    As contas do INE indicam que, em 2002, existiam 28 733 camas de internamento nos hospitais públicos, número que baixou para 25 029 em 2013.
    Pelo contrário, as camas nos hospitais privados aumentaram de 8 429 para 10 474 no mesmo período.
    Ou seja, em 2013, os hospitais públicos oficiais tinham aproximadamente menos 3700 camas de internamento do que em 2002 e os privados mais duas mil camas.
    Já na semana passada, o presidente cessante da Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO), Joaquim Abreu de Sousa, alertou na Assembleia da República que «o tratamento dos doentes com cancro em Portugal está no vermelho», porque as instituições estão «no limite».
    O médico referiu que por falta de camas 266 doentes oncológicos não puderam ser operados em 2014, apesar de haver equipas disponíveis"

    http://ocastendo.blogs.sapo.pt/hospitais-publicos-reduzem-camas-1886588

    É mesmo crime. E Paulo Macedo um criminoso

    De

    ResponderEliminar
  2. Isto é mesmo um crime premeditado contra a integridade e a vida dos cidadãos.

    É um crime cometido com o objetivo de favorecimento de grupos mafiosos a operar no setor da saúde,como tal e para todos os efeitos é um crime que desrespeita os direitos humanos, e nesse aspeto segundo a lei que protege os direitos d homem esse tipo de crimes nunca prescreve.

    Portanto todos nós temos o dever e a responsabilidade de um dia quando as condições forem propicias levar estes criminosos perante a justiça.

    ResponderEliminar